quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

A fé sob risco


Houston, importante cidade do estado do Texas com mais de 2 milhões de habitantes, está no centro da escalada contra a liberdade religiosa nos Estados Unidos. A prefeita Annise Parker - que é homossexual assumida - apresentou uma proposta para que pastores e padres sejam obrigados a submeter seus sermões a avaliação prévia pelo Conselho Municipal. A ideia é coibir o "discurso homofóbico" dos religiosos, e já há processos contra cinco pregadores, por suposta ofensa aos gays. A medida, que fere frontalmente a Constituição do país, gerou estupefação. Quatrocentos pastores da cidade buscam judicialmente a suspensão da proposta, considerada censura à fé. Russel More, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convensão Batista do Sul, indigna-se: "Nunca daremos a César o que é de Deus".  Christina Holcomb, advogada da Aliança em Defesa da Liberdade, classifica o ato como uma "verdadeira inquisição". Já no estado de Idaho, dois ministros cristãos que administram uma capela para casamentos foram notificados pela Procuradoria de que teriam de realizar cerimônias de uniões homoafetivas sempre que solicitados. Em caso de recusa, estarão sujeitos a multa de US$ 1 mil (cerca de R$ 2,5 mil) e até 180 dias de prisão. "É um aburdo que pastores sejam obrigados a contrariar suas crenças religiosas", protesta Tony Perkins, presidente do Conselho de Pesquisas da Família.

Fonte Cristianismo Hoje

Nenhum comentário: