terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Alemanha: Manifestações contra a “islamização” do país


A maior das concentrações aconteceu em Dresden e reuniu cerca de 10 mil pessoas que responderam ao apelo lançado pelo grupo Pegida, que entre outras medidas defende o endurecimento da legislação sobre o asilo.

“Os refugiados políticos são muito bem-vindos, mas olhemos para as casas destes pretendentes a exilados. Só há homens a viver ali. Onde estão as suas famílias? São criminosos que deixaram a família para trás, na guerra”, disse um dos manifestantes.

Por seu lado, cerca de 9000 pessoas contestaram os apoiantes do grupo Pegida que acusam de xenofobia, nacionalismo e intolerância religiosa.

“Muitas pessoas não querem saber. Desde que seja por uma razão válida e que todos os alemães concordem, não têm problemas em manifestar-se. Preocupa-me o fato de já não ser tabu ficar ao lado de um nazi durante uma manifestação”, afirmou Silvio Lang, da aliança “Dresden sem nazis”.

Apesar do grupo Pegida fazer questão de assinalar que não tem relações com a extrema-direita, o partido NPD já declarou simpatizar com os protestos e os eurocéticos da Alternativa para a Alemanha afirmaram compreender as razões dos manifestantes.

De Fernando Peneda | Euronews

Nenhum comentário: