quarta-feira, 29 de maio de 2013

Professor descobre na Itália versão mais antiga da Torá, a Bíblia hebraica


Documento foi escrito entre os séculos XII e XIII. (Foto: divulgação/ Universidade de Bolonha)

O livro foi escrito entre os séculos XII e XIII, aponta teste

ANSA | Redetv

Um pesquisador da Universidade de Bolonha, no norte da Itália, descobriu na biblioteca universitária um exemplar da Torá, a Bíblia hebraica, que se acredita seja o exemplar mais antigo, completo e bem preservado do mundo. 

O documento foi escrito sobre pele curtida de ovelha, tem 64 centímetros de altura e 36 metros de comprimento, em forma de rolo. Chamada de "Rolo 2", a Torá contém o texto completo em hebraico do chamado Pentateuco, que corresponde aos livros Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuterônimo do Antigo Testamento da a Bíblia cristã. 

Os professores de Bolonha explicaram que a Torá estava classificada como escrita no século XVII, mas uma nova análise e testes de carbono 14 mostraram que o livro na verdade foi escrito muito antes, em um período entre o século XII e o começo do século XIII da era cristã (1155-1225), informaram os jornais Corriere della Sera de Milão e La Stampa de Turim. 

A descoberta foi feita pelo professor Mauro Perani, titular de hebraico no departamento de bens culturais da Universidade de Bolonha, seção de Ravena, durante a redação de um novo catálogo dos manuscritos em hebraico que estão na biblioteca universitária. Foi feito um exame gráfico e paleográfico, confirmado com duas análises de carbono 14, na Universidade de Salento (Itália) e no Radiocarbon Dating Laboratory, na Universidade de Illinois, Estados Unidos.

A antiguidade do "Rolo 2" não foi reconhecida pelo bibliotecário Leonello Modona, italiano de religião hebraica que trabalhou durante anos como bibliotecário em Bolonha e fez um catálogo dos manuscritos em 1889. Modona pensava que o documento era do século XVII e descreveu a caligrafia do manuscrito com tendo um "caráter italiano bastante inchado". 

Mas o professor Perani, contudo, ao examinar o novo catálogo, percebeu que a caligrafia oriental do manuscrito era na verdade bastante elegante e refinada, enquanto a estrutura do texto e as características gráficas indicavam serem muito anteriores ao século XVII. O texto do "Rolo 2", na verdade, não respeita as regras estabelecidas pelo filósofo e médico judeu Moisés Maimônides, que morreu em 1204 no Cairo e fixou de maneira definitiva as normas rabínicas relativas à escrita do Pentateuco. Isso indica que o texto de Bolonha deve ser anterior a Maimônides. 

Os pesquisadores disseram não ser possível saber quando o manuscrito passou a integrar a biblioteca da Universidade de Bolonha, fundada em 1088 e uma das mais antigas do mundo. A descoberta do Torá, conclui o Corriere della Sera, parece confirmar o vínculo que une a cidade italiana ao livro sagrado judaico. Foi em Bolonha que em 1482 foi publicada a primeira edição impressa do Pentateuco hebraico. 

Nenhum comentário: