quinta-feira, 11 de abril de 2013

Rússia proíbe propaganda do aborto



Governo russo faz campanha contra a prática

Diário da Rússia

A Duma, câmara baixa do Parlamento russo, aprovou em primeira leitura um projeto de lei patrocinado pelo Ministério da Saúde que pretende proibir a propaganda direcionada à interrupção da gravidez. O aborto era um método comum de controle de natalidade na era soviética, e a Rússia ainda tinha o maior número casos por mulher em idade fértil em 2004, segundo dados da ONU. Uma nova lei aprovada em 2011, porém, tornou a prática ilegal no país para gestações com mais de 12 semanas, com exceções de até 22 semanas para alguns casos médicos.

O governo faz campanha contra a prática para tentar aumentar a taxa decrescente de natalidade, que é um fator na crise demográfica russa. A esposa do Primeiro-Ministro Dmitri Medvedev, Svetlana, tem apoiado o chamado movimento pró-vida na Rússia desde 2008, através de sua Fundação para Iniciativas Sociais e Culturais. A Igreja Ortodoxa é também uma firme defensora da ilegalidade do aborto no país.

O projeto de lei também propõe elevar a idade – de 14 para 15 anos – em que os menores não precisam mais da autorização dos pais para exames médicos.  O documento também regula o fornecimento de medicamentos gratuitos para pacientes com HIV administrados em clínicas ambulatoriais em nível federal e regional.

Imagem: Internet

Nenhum comentário: