quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Sobre Falsos Heróis





Que heróis são esses que ergueram massas
Pregando o fim de alheias propriedades
Tramando golpes com base em mentiras
E ideologias de falsa igualdade
Que heróis fajutos que com mil falácias
Organizaram hordas de iludidos
Disseminando ódio entre as classes
Com seus conceitos falsos e falidos

Que heróis de araque que até hoje guiam
Servos que travam inúteis contendas
E assim militam por ruas e becos
E cortam cercas para invadir fazendas
Que heróis bandidos que pregaram roubo
E caridade com dinheiro alheio
Mas cujos bolsos de seus seguidores
Não se abstêm de se manterem cheios

Legado tosco o destes heróis
Que greves tolas vão influenciando
Pelas escolas, poluindo livros
Nas faculdades, mitos se tornando
E os seguidores dos heróis de barro
Que alcançando o pleno poder
Confiscam armas do povo que assim
Nem mais a vida pode defender

Sagas macabras as destes heróis
Cujos ideais pátrias degeneram
Destroem jovens corrompendo mentes
Com utopias que nunca prosperam
São cultuados em todas as partes
Cidades, campos e universidades
E assim, aos poucos, seus servis soldados
Calam as vozes que falam verdades

Triste destino o dos que lutaram
Nas intentonas dos heróis falsários
Fortalecendo o perigo vermelho
Feito de ódio e rancor proletário
Pobre cabeça a que acata as idéias
De um falso herói mal-intencionado
Pobre do homem que iludido entrega
Sua devoção aos heróis errados


Nenhum comentário: