quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Livro do papa reafirma "nascimento virginal" de Jesus


O livro é intitulado "As Narrativas da Infância - Jesus de Nazaré" e está sendo publicado simultaneamente em 21 línguas

Reuters | Exame


O papa Bento XVI: uma seção do livro tem como título: "Mito ou Verdade Histórica?" A Igreja ensina que Jesus era o filho de Deus e não foi concebido por uma relação sexual

O papa Bento 16 publicou nesta terça-feira a última parte de sua trilogia sobre a vida de Jesus Cristo, com uma narrativa sobre a primeira infância dele, na qual reafirma com força a doutrina do nascimento virginal como uma verdade "inequívoca" da fé.

O livro é intitulado "As Narrativas da Infância - Jesus de Nazaré" e está sendo publicado simultaneamente em 21 línguas. Deve tornar-se um best-seller internacional, como os volumes anteriores.

Dividida em prefácio, quatro capítulos e um epílogo, a obra expõe e analisa as narrativas do nascimento de Jesus até sua apresentação no templo, aos 12 anos de idade.

Os dois volumes anteriores trataram da vida adulta de Jesus e seus ensinamentos públicos.

Uma seção do livro tem como título: "Mito ou Verdade Histórica?" A Igreja ensina que Jesus era o filho de Deus e não foi concebido por uma relação sexual, mas pelo poder do Espírito Santo, uma das partes da divina trindade.

Em linguagem simples, Bento 16 diz que a história do nascimento virginal não é apenas uma reelaboração de antigas lendas gregas ou egípcias e conceitos arquetípicos, mas algo totalmente novo na história.

"É somente a palavra criativa de Deus que propicia algo novo. Jesus, nascido de Maria é integralmente homem e integralmente Deus, sem confusão e sem separação...", escreveu o pontífice.

O papa diz no livro que os católicos deveriam ver a crença no nascimento virginal e a ressureição de Jesus como "pontos cruciais da fé" porque "são sinais inegáveis o poder criativo de Deus".

+

Bento XVI: Deus não é 'absurdo', mas uma realidade misteriosa


Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns ao Santo Papa. Bento XVI tem se esforçado, herculeamente, para fazer a igreja católica mais respeitável, depois de décadas de infiltrações maçônicas, liberais, gayzistas e comunistas na Santa Sé. Não so o livro reverbera a fé cristã católica como reafirma a posição dos dogmas e doutrinas da santa igreja. Não so Maria concebeu O Salvador virginalmente como tambem permaneceu virgem até a morte, aos 72 anos de idade. Maria também nunca teve outros filhos, como alega errônea e falsamente, os protestantes e sim José do primeiro casamento. Portanto, Maria teve um único filho concebido pelo Espírito Santo e o Todo Poderoso Deus. Salve Maria: Pura, Impecadora, Graciosa, Venerável, Santíssima pela benevolente obra da graça de Deus.
Santa Maria, mãe do meu Senhor!

Eduardo