sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Documentário contra Obama surpreende na bilheteria americana






'2016: Obama’s America’ avalia como EUA estarão daqui a quatro anos, se presidente for reeleito




The New York Times | Publicado em O Globo em 27/08/12 - atualizações em vermelho

Por essa Hollywood não esperava. O documentário político “2016: Obama’s America”, uma extensão cinematográfica do livro “The Roots of Obama’s Rage” (”As raízes do ódio de Obama”, em tradução direta), bateu duas estreias neste fim de semana e quase deixou uma terceira para trás.

Dirigido por Dinesh D'Souza, autor do livro que inspirou o filme, ex-assessor do presidente Ronald Reagan e um dos principais intelectuais de direita dos EUA, o documentário examina a questão: "Se Obama vencer a reeleição, como os EUA estarão em 2016?".

Na Amazon.com, o livro de Dinesh é descrito da seguinte forma: "'The Roots of Obama’s Rage' revela quem Obama realmente é: um homem dominado pela ideologia anti-colonialista de seu pai e o primeiro presidente americano a tentar reduzir a força da América, sua influência e padrão de vida. Controverso e convincente 'The Roots of Obama’s Rage' está destinado a ser o único livro a definir verdadeiramente Obama e sua presidência".

“Obama’s America”, lançado pela Rocky Mountain Pictures, arrecadou US$ 6,2 milhões no fim de semana, acumulando US$ 9,1 milhões. (o filme já arrecadou mais de US$ 33 milhões até o momento) O filme estreou em poucas salas em julho, mas passou a ser exibido em mais de mil cinemas (atingiu 2017 salas) neste fim de semana, pouco antes da convenção nacional para nomear Mitt Romney como candidato republicano na corrida presidencial.

Duas estreias hollywoodianas, “Hit and run” e “A aparição”, foram mal, arrecadando menos de US$ 4,7 milhões cada. Outro lançamento, “Perigo por encomenda”, conseguiu apenas US$ 6,3 milhões. Ainda assim, “Obama’s America” não conseguiu chegar ao top 5, (no 62º dia de exibição atingiu a segunda posição no ranking dos mais assistidos) com “Os mercenários 2” mantendo a dianteira num fim de semana de bilheterias fracas.

O filme está há 95 dias em exibição em mais de 200 salas americanas.



Um comentário:

Daniel disse...

Tinha que ter um documentário deste tipo sobre o Lula! Perfis bem parecidos...