quarta-feira, 19 de setembro de 2012

A paz 'made in SP' de cristãos, judeus e muçulmanos


Empresários organizam exposição temática e corrida pela amizade entre os povos; totens podem ser vistos na cidade

Edison Veiga - O Estado de S.Paulo

Três bem-sucedidos empresários, um de origem cristã, outro de origem judaica e o terceiro de origem muçulmana, juntos organizam uma série de eventos para promover a paz.

Alexandre Chade, de 42 anos, Raul Meyer, de 68, e Suheil Yamout, de 54, são os principais representantes no Brasil da ONG Caminho de Abraão (leia mais sobre a organização abaixo). E preparam duas ações que devem mexer com a cidade.

A partir de hoje (16/09), haverá uma exposição urbana de conscientização. Dois mapas, um pórtico e oito totens - com as palavras Solidariedade, Amor, Paz, Diversidade, Liberdade, Amizade e Respeito, com até 19 metros de comprimento - estarão espalhados em avenidas como a República do Líbano e a Juscelino Kubitschek, na zona sul.

No próximo domingo, uma corrida de rua, com percurso de 7 km, passa justamente por essa região. Trata-se da quarta edição da Corrida da Amizade. "A prova é muito simbólica, uma vez que passa por pontos representativos das diferentes comunidades que habitam a cidade, como os Hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, os Clubes Monte Líbano e A Hebraica, o Parque do Povo...", enumera Chade. "E, para ficar ainda mais perfeita, termina em plena Marginal do Pinheiros, cujo nome oficial é Avenida das Nações Unidas."

Para participar da corrida é preciso inscrever-se previamente. Mas, atrás do pelotão, todos estão convidados a fazer a caminhada da amizade. "Sem pressa e aproveitando a beleza do percurso", completa Chade.

A corrida é o principal evento anual da ONG. Com a expectativa de reunir 4,5 mil atletas, trata-se da maior fonte de renda da associação - afinal, há outros eventos, menores, realizados ao longo do ano, incluindo debates e palestras. Além disso, o evento também serve para trazer visibilidade à entidade e divulgar a causa defendida: a união entre os povos, a paz, a amizade, o respeito mútuo e o desenvolvimento das nações.

Abraão. "A corrida é o Caminho de Abraão simbólico, aqui em São Paulo", diz Chade. Figura bíblica do antigo testamento, o patriarca Abraão, considerado o fundador do monoteísmo, teria vivido há cerca de 4 mil anos e é personagem presente e importante nessas três religiões: no judaísmo, no cristianismo e no islamismo.

Depois de receber o chamado de Deus, Abraão teria peregrinado por 1,2 mil km na região do Oriente Médio - cruzou o Rio Eufrates, a região montanhosa do Norte da Jordânia, Belém e Jerusalém. Hoje, muitos trechos desse percurso estão em áreas de paz instável.

Conflitos. De acordo com os organizadores, São Paulo é o melhor lugar do mundo para receber um evento como essa corrida. "O Oriente Médio é o grande centro global de tensão. E o que acontece ali, infelizmente, acaba sendo irradiado para todo o mundo", comenta Chade.

"Aqui, por outro lado, é o único lugar onde há convivência, interação entre árabes, judeus e cristãos", continua o empresário. "Em outros lugares ou há conflitos ou há apenas uma coexistência paralela. No Brasil, esses três povos se sentam à mesa e há até casamentos entre gente de diferentes origens. Estamos em um local de paz."

"Queremos dar um exemplo para o mundo, de como é possível, sim, vivermos em paz", diz Suheil Yamout. "A convivência entre povos diferentes pode e deve ser pacífica. Linhas paralelas não são conflitantes", completa Raul Meyer.

Nenhum comentário: