sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Sitcom sobre família islâmica mal estreou e já gera polêmica


Programa está sendo exibido na BBC e comunidade islâmica da Inglaterra até agora não entendeu a piada

Revista Galileu

Os Simpsons versão Oriente Médio? Família paquistanesa é retratada pela mesma ótica estereotipada do desenho dos EUA //Crédito: Divulgação

Uma série de televisão satirizando a rotina de uma família islâmica. Alguém aí duvidou que ia acabar em polêmica? Pois é. A sitcom Citizen Khan – um trocadilho indecente com Citizen Kane, um dos maiores clássicos do cinema mundial – estreou na BBC1 nessa segunda-feira, dia 27 de agosto, e já tem gente querendo que ela saia do ar.

O principal responsável pela controvérsia atende pelo nome de Adil Ray, criador do seriado e ator principal, interpretando o próprio Mr. Khan. Ray é britânico, mas também é muçulmano, fato que, pelo menos a princípio, embasa a proposta fundamental da série: fazer a comunidade muçulmana da Inglaterra rir de si mesmo.

Mas ela não riu. Só no primeiro episódio, a BBC recebeu 176 reclamações, sem contar a turma que xingou muito no Twitter. Uma das cenas mais citadas é a sequência em que a filha do Mr. Khan corre para vestir o hijab (vestimenta tradicional islâmica) e se joga na cama para abrir o Alcorão a tempo do pai entrar no quarto. Para os mais irritados, ela “abriu o livro sagrado de forma desrespeitosa”. Para os mais bem-humorados, o livro era um objeto cenográfico e, provavelmente, nem se tratava de um Alcorão de verdade.

Uma coisa que tantos os líderes religiosos quanto os críticos de TV da Inglaterra concordam é que o seriado já nasceu em uma sinuca de bico: os ocidentais irão se sentir constrangidos de rir da religião alheia, os religiosos vão se sentir ofendidos por ser motivo de chacota. Talvez por isso mesmo, a série tem tudo para ser um sucesso de audiência.

Via Telegraph

Nenhum comentário: