terça-feira, 10 de abril de 2012

Irã quer se desligar completamente da internet

Autoridades locais bloquearão acesso a sites estrangeiros e permitirão apenas uso de ferramentas criadas pelo governo local


Olhar Digital


O Irã quer se desligar da internet. O governo iraniano quer bloquear o acesso a qualquer site estrangeiro e substituir serviços como o Google por ferramentas criadas por e para iranianos, de acordo com o The Verge.


O ministro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Irã, Reza Taghipour, anunciou o plano em um comunicado. A primeira fase vai começar em maio, quando o acesso ao Google, Yahoo, e Hotmail serão substituídos por sites governamentais com as mesmas funções, mas com conteúdo controlado pelas autoridades iranianas.


Até outubro o acesso geral a sites estrangeiros será bloqueado. Assim, os iranianos poderiam apenas entrar em páginas próprias do Irã, em uma intranet governamental no lugar da rede mundial.


A justificativa do ministro para a medida é que a internet "promove crime, desunião, conteúdo moralmente duvidoso e ateísmo". As autoridades também estão preocupadas com casos de espionagem e sabotagem a serviços locais.


A briga das autoridades iranianas com a internet não é recente. Em fevereiro, o governo bloqueou o acesso a páginas seguras (HTTPS). Oficiais iranianos afirmam que o bloqueio fez parte de um teste do governo para novas ferramentas. Na ocasião, os sites hospedados no país podiam ser acessados, enquanto os de fora estavam bloqueados.

Nenhum comentário: