quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Religiosidade dos brasileiros é tema da Coleção

Quinto volume chega às bancas no domingo, com fotografias tiradas entre 1860 e 1960


Antes da chegada dos portugueses, diversas crenças e cultos indígenas já se espalhavam pelo nosso território. A partir de então difundiu-se fortemente o catolicismo -com grande ajuda dos padres jesuítas-, que se tornou a religião predominante do país até os dias de hoje.


Nos séculos seguintes, também chegaram as crenças de origem africana, trazidas pelos escravos e, mais à frente, imigrantes europeus e orientais trouxeram o judaísmo, o budismo, entre outras.


Atualmente, assim como o povo brasileiro é diverso em suas origens, cores e etnias, ele é também plural em sua religiosidade.


É dedicado às mais diferentes manifestações de fé dos brasileiros o quinto volume da Coleção Folha Fotos Antigas do Brasil, "Crenças e Templos", nas bancas no próximo domingo, dia 19.


O livro, que reúne importantes imagens feitas entre 1860 e 1960, é dividido em quatro partes temáticas: "Cristianismo", "Rituais de Origem Africana", "Outras Religiões" e "Templos".


Cada uma delas traz fotografias de grandes nomes como Vincenzo Pastore (1865-1918), Marcel Gautherot (1910-1996), Pierre Verger (1902-1996), Guilherme Gaensly (1843-1928), Marc Ferrez (1843-1923) e José Medeiros (1921-1990).


O volume traz registros feitos desde os tempos do Império, como a foto de Ferrez da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto (MG), cercada de carroças em ruas ainda de terra.


Há também fotografias de tempos mais modernos, como uma de Medeiros tirada nos anos 50, no Rio de Janeiro, no Congresso Eucarístico Internacional.


A COLEÇÃO FOLHA


A coleção, dedicada a apresentar algumas das fotografias mais importantes feitas no país entre 1840 e 1960, traz 20 volumes organizados de forma temática.


A série, que procura mostrar grandes acontecimentos e cenas do cotidiano, é um registro ilustrado da história do país -uma história da sociedade, do cotidiano, da economia e da política, contada por intermédio da fotografia.


As cenas foram captadas com maestria pelas lentes de fotógrafos que entraram para a história como testemunhas oculares e protagonistas da consolidação da fotografia como arte no Brasil.


As cerca de 900 imagens que compõem a coleção fazem parte dos principais acervos do país, como o Instituto Moreira Salles (apoiador da coleção), o Arquivo Público do Estado de São Paulo, a Fundação Pierre Verger e o Museu Paulista da USP.


Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário: