terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Muçulmanos canadenses emitem fatwa contra "crimes de honra"

Um grupo de clérigos muçulmanos do Canadá emitiu uma fatwa contra os chamados "crimes de honra", apenas uma semana depois que três membros de uma família afegã-canadense foram condenados por um chocante homicídio quádruplo que provocou um debate nacional sobre valores culturais.


A declaração feita no final de semana pelo Conselho Islâmico Supremo do Canadá dizia que 23 imãs e líderes afiliados ao grupo divulgaram o edito religioso para lembrar os muçulmanos de que os crimes de honra, a violência doméstica e a misoginia são pecados graves e crimes puníveis pela lei.


"O recente julgamento da família Shafia em Kingston, Ontário, lembrou a todos nós que precisamos fazer mais a fim de evitar tais tragédias no futuro", dizia o comunicado.


"Não há justificativa para os crimes de honra, a violência doméstica e a misoginia no Islã".


No mês passado, um júri declarou marido e esposa, Mohammad Shafia e Tooba Mohammad Yahya, e o filho de ambos, Hamed Mohammad Shafia, culpados de quatro assassinatos. As vítimas eram três das irmãs mais novas de Hamed e a primeira mulher de Mohammad Shafia em um casamento polígamo.


Todas as quatro foram afogadas em um Nissan Sentra, afundado em um canal perto da cidade de Kingston, em Ontário.


As meninas, com idades de 13, 17 e 19 anos quando morreram, pediram ajuda para a polícia, os serviços sociais e seus professores contra a família violenta. O tribunal foi informado de que as três adolescentes buscavam um estilo de vida mais liberal do que o que lhes era imposto pelo pai.


O caso tocou um ponto sensível no Canadá, onde a imigração crescente levou a confrontos entre os valores canadenses e as tradições mais rígidas de imigrantes como a família Shafia. Algumas comunidades de Québec tiveram destaque na mídia recentemente ao proibir o uso de véus.


Fonte: Reportagem de Jeffrey Hodgson - Reuters

Nenhum comentário: