terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Andrea Matarazzo afirma que PT 'consolidou' crack em SP

Pré-candidatos tucanos poupam prefeito Kassab em debate


Bernardo Mello Franco / Folha de S. Paulo


Em debate ontem, pré-candidatos do PSDB à Prefeitura de São Paulo atacaram o adversário Fernando Haddad (PT) e tentaram vincular seu partido à disseminação do crack na capital.


Eles pouparam o prefeito Gilberto Kassab (PSD), que se aproximou do PT e sugeriu indicar o vice de Haddad.


O secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo, associou o crescimento da cracolândia aos petistas, numa referência indireta à gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (2001-2004).


"O governo do PT consolidou o crack na região central", disse, ao chegar ao encontro em Santo Amaro (zona sul). "O crack foi consolidado no governo do PT e foi crescendo e crescendo."


O PSDB controla o governo estadual desde 1995, quando Mario Covas assumiu o Palácio dos Bandeirantes.


O deputado Ricardo Trípoli, que também disputa a chapa tucana, culpou o PT pela entrada da droga no país.


"O crack não é oriundo do Brasil. Eles estão há nove anos no governo e não fizeram nada para que os entorpecentes não entrassem pela Bolívia. Agora vêm aqui dar palpite na política de São Paulo", disse.


Outro pré-candidato tucano, o secretário estadual de Energia, José Aníbal, reforçou as críticas. "Hoje o SUS não financia o tratamento dos dependentes", afirmou.


HADDAD


Os tucanos saíram em defesa da operação policial na cracolândia, iniciada no dia 3, e atacaram Haddad. À Folha, no domingo, o petista disse que a ação foi "desarticulada" e "desastrada".


Trípoli chamou Haddad de "paraquedista".


"O adversário é paraquedista. Confunde Itaim Paulista com Itaim Bibi. Se chegar aqui [Santo Amaro], vai cumprimentar o pessoal do Jaçanã, que fica na zona norte. Ele não sabe onde está."


O secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, também participou do debate. Ele afirmou que "a prefeitura não pode e não será entregue a grupos que querem se perpetuar no poder".


Covas sugeriu que as prévias tenham segundo turno entre os dois candidatos mais votados.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ricardo tripoli mais uma vez mostra q está mais do q preparado para ser o prefeito q são paulo precisa.
Haddad não dá! Precisamos de alguem com experiencia e boa indole, ou seja - ricardo tripoli