terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O antiamericanismo e o antisionismo: as duas grandes religiões do mundo



por Paulo Rosenbaum


Relutei o quanto pude, mas Bernard Henri-Levy estava certíssimo em pelo menos uma percepção: as duas grandes religiões do mundo contemporâneo são laicas, o antiamericanismo e o antisionismo (eufemismo para judeofobia).


Não tenho a menor pretensão de totalizar uma análise das causas históricas que levaram a esse estado de cosias mas não me furto a evidenciar os efeitos da história. As evidencias são longas e impressionantes e um de seus efeitos é claro, a mídia eletrônica está sendo usada contra a paz.


Os ataques que venho recebendo só certificam que o caminho é esse mesmo.


Não moverei um micron da linha analítica que vendo adotando e não por apego ideológico, nem pela condição de judeu contemporâneo não alinhado com nenhum grupo ou escola, mas por uma teimosia fundamentada nas tradições monoteístas: a paz é o objetivo, mas a paz não é natural nos homens.


O tribalismo e o ódio entre grupos rivais, o preconceito racial, etnico ou social (não resistiriam a nenhuma análise) são atavismos que só serão superados se e quando a relação entre as pessoas mudar completamente de configuração ou de espirito, se se quer ser mais radical, enquanto isso não acontecer eles serão necessários para a maior parte das pessoas que se sentem assim pertecentes a uma ou outra tropa.


Este battle-field ou campo de batalha (que James Joyce reformulou como bluddel-filth, sangue sujo) só mostra certo fracasso da experiencia humana em conviver com o diverso e o contraditório.


Rezo para que isso mude.


Rápido.

Nenhum comentário: