quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Em vídeo, militante recruta muçulmanos dos EUA para a Al Qaeda

O militante islâmico Anwar al Awlaki, morto em setembro num bombardeio teleguiado da CIA, deixou um vídeo, divulgado na terça-feira, em que convoca os muçulmanos nascidos nos EUA a se filiarem à Al Qaeda no Oriente Médio.


Awlaki, norte-americano de ascendência iemenita, era identificado pela inteligência dos EUA como "chefe de operações externas" da Al Qaeda do Iêmen, com grande habilidade para propagar a causa islâmica pela Internet. Ele foi morto numa remota localidade iemenita por mísseis disparados por vários aviões teleguiados da CIA.


"Vocês têm duas escolhas: hijra (emigração) ou jihad (guerra santa)", diz Awlaki no vídeo, divulgado por sites islâmicos.


"Eu convido especificamente a juventude a lutar no Ocidente ou se juntar aos seus irmãos na frente da jihad: Afeganistão, Iraque e Somália. Eu os convido a se juntar a nós em nossa nova frente, o Iêmen, a base a partir da qual a grande jihad na Península Arábica irá começar, a base a partir da qual o grande Exército do Islã irá avançar", disse ele em inglês.


Awlaki era acusado de envolvimento em um frustrado atentado aéreo da Al Qaeda em 2009, e teve contato com um psiquiatra militar que matou 13 pessoas em um quartel norte-americano naquele ano.


O vídeo incluía uma mensagem ao povo norte-americano divulgada em março de 2010 por Awlaki. A empresa Site, que monitora declarações jihadistas, disse que a conclamação pela adesão à Al Qaeda não aparecia naquela gravação, embora ela tivesse sido citada desde então em uma revista eletrônica da Al Qaeda iemenita.


Em novembro, a polícia de Nova York prendeu um seguidor de Awlaki suspeito de construir uma bomba com canos para usar contra soldados dos EUA que estivessem voltando do Iraque e Afeganistão.


Eloquente em inglês e árabe, Awlaki estimulou ataques aos Estados Unidos e era visto como um homem capaz de recrutar muitos militantes da Al Qaeda no Ocidente.


Também na terça-feira, um tribunal de Boston condenou um homem por ajudar a Al Qaeda traduzindo mensagens do árabe e auxiliando militantes a viajarem para treinamento no Iêmen.


No Iêmen, homens armados mataram um agente de inteligência na província de Lahej (sul), disse uma fonte de segurança à Reuters, atribuindo o ataque à Al Qaeda.


Separadamente, forças de segurança prenderam sete supostos membros da Al Qaeda que estariam planejando ataques contra instalações governamentais no sul iemenita, segundo uma fonte do ministério local da Defesa.


Reportagem de Firouz Sedarat | Reuters

Nenhum comentário: