quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Rússia descobre valas do Terror Vermelho

Obras em São Petersburgo revelam restos mortais de centenas de pessoas, incluindo, possivelmente, membros da família imperial executados pelos bolcheviques


por Graziella Beting / História Viva



Catedral de Pedro e Paulo, em São Petesburgo. Gravura de 1834


Um dos períodos mais sombrios da história da Rússia está sendo revelado por pesquisas arqueológicas. Desde 2007, durante obras de restauração da fortaleza de Pedro e Paulo, em São Petersburgo, foram encontrados, por acaso, alguns esqueletos. As investigações prosseguiram, e este ano os pesquisadores relataram ter encontrado restos mortais de centenas de pessoas. Entre eles, possivelmente os de quatro membros da família imperial russa, executados pelos bolcheviques em 1919.


Segundo Vladimir Kildyushevsky, arqueólogo responsável pelas escavações, os corpos são de quatro grão-duques da dinastia Romanov: Pavel Alexandrovich Romanov, tio do último czar russo, Nicolau III; e seus primos, Georgi, Nikolai e Dmitri Konstantinovich, netos do czar Nicolau I.


Já foram encontradas sete fossas, com as ossadas de pelo menos 110 pessoas, a maioria delas fuzilada durante o chamado Terror Vermelho, turbulento período que sucedeu a Revolução Russa, entre 1918 e 1922. As escavações, no entanto, correm o risco de ser interrompidas por falta de financiamento.


Graziella Beting é jornalista e tradutora

Nenhum comentário: