quarta-feira, 15 de junho de 2011

Só 15% dos membros da Igreja da Suécia acreditam em Jesus


Ao que parece, a cruz da bandeira da Suécia vai aos poucos se tornando uma referência apenas histórica (até desaparecer, lamentavelmente). É que chega de lá uma notícia preocupante, embora nem tão inesperada assim, considerando o nível de liberalismo religioso e dos costumes na Europa, em especial nos países nórdicos. A Igreja da Suécia é a maior e mais influente denominação cristã daquele país, de confissão luterana e com cerca de 6.600.000 membros batizados, e até o ano de 2000 era a religião oficial do Estado sueco. Detalhe: a Suécia tem atualmente cerca de 9.400.000 de habitantes. Uma pesquisa realizada no ano passado com cerca de 10.000 membros revelou alguns dados surpreendentes, segundo informa o site sueco (em inglês) The Local:

a) 15% dos membros da igreja se dizem ateus;

b) 25% dos membros se declaram agnósticos;

c) dos 6,6 milhões de membros, apenas 400.000 são frequentadores assíduos dos cultos realizados nas igrejas;

d) 90% dos membros dizem ter um vínculo muito fraco com a igreja;

e) apenas 15% deles afirmam crer em Jesus Cristo;

Esses dados discrepantes (e estarrecedores) se justificam - em parte - devido ao fato de que até 1996 os suecos se tornavam automaticamente membros da Igreja da Suécia ao nascer, se pelo menos um dos seus pais fosse filiado à instituição. Além da condição de religião oficial do Estado até 2000, muitos dos entrevistados declararam que gostam de ir à igreja eventualmente ou dela fazerem parte por causa das muitas obras sociais que ali são conduzidas. Não necessariamente, portanto, porque comungam dos mesmos ideais de fé e fraternidade cristã. A pesquisa foi encomendada pela liderança da denominação justamente para saber o que eles devem fazer para se tornarem mais relevantes - do ponto de vista religioso - na vida dos suecos.

Ainda que seja surpreendente o fato de apenas 15% dos membros acreditarem em Jesus Cristo, não deixa de ser curioso, entretanto, que 15% deles se identifiquem como ateus, mesmo que sua ligação com a Igreja da Suécia seja meramente formal. É uma triste situação que deve servir de exemplo àqueles que professam e pregam o evangelho de Jesus Cristo no mundo todo, enquanto ateus e cristãos vivem um perigoso empate estatístico dentro da Igreja da Suécia. Se nada for feito para reverter esta situação, vão ter que decidir nos pênaltis...

Fonte: Hélio - O Contorno da Sombra

Nenhum comentário: