segunda-feira, 30 de maio de 2011

Milhares de israelenses celebram "reunificação" de Jerusalém

Mais de dez mil jovens israelenses procedentes de diferentes pontos do país marcharam nesta segunda-feira pelo centro de Jerusalém para comemorar a "reunificação" da cidade em 1967, quando se deu a ocupação de sua parte leste.

Os jovens, em sua maioria estudantes, participaram de um ato que contou com a participação de representantes dos kibutzim e de Prefeituras de Israel, segundo os organizadores do evento.

A passeata começou com um ato no cêntrico Parque da Independência da cidade. Os estudantes estenderam centenas de bandeiras de Israel e gritaram frases a favor de Jerusalém como capital do Estado judeu.

A marcha também lembrou o soldado israelense Gilad Shalit, capturado há quase cinco anos pelo braço armado do Hamas.

O pai do militar, Noam Shalit, participou do ato e discursou diante dos presentes.

A marcha terminou com a participação do presidente israelense, Shimon Peres, e do prefeito da cidade, Nir Barkat.

A passeata teve por objetivo "saudar a cidade" às vésperas do 44º aniversário da ocupação da parte leste de Jerusalém durante a Guerra dos Seis Dias (1967).

O evento terminou no Parque Sacher e obrigou as autoridades a interromperem o tráfego nas principais ruas do centro da cidade.

Em Jerusalém moram cerca de 450 mil judeus e 230 mil palestinos, e, embora tenha sido declarada por Israel em 1981 como sua capital "eterna e indivisível", a comunidade internacional nunca reconheceu essa anexação.

Os palestinos desejam estabelecer a capital de seu futuro Estado justamente nessa parte da cidade ocupada por Israel desde 1967.

Fonte: Terra

Um comentário:

Anônimo disse...

Aleluia, aleluia, aleluia.

A única preocupação fica por conta das novas gerações que ñ trazem na alma o espírito guerreiro de seus antepaçados daqueles tempos de 1967e também 1947.

O que faz Israel forte é ser odiado pelas nações, principalmente por sabujos árabes.