quinta-feira, 5 de maio de 2011

Letras que matam


Ao longo da história do cristianismo, muito já se escreveu e publicou contra os judeus. Desde pais da Igreja, como Cipriano e Agostinho, a filósofos do século 19, religiosos e intelectuais têm defendido a intolerância em relação às populações judaicas:


200
Tertuliano escreve o primeiro manifesto cristão contra os judeus


250
Cipriano divulga escritos dando conta de que o diabo é o pai dos judeus


415
Agostinho de Hipona decreta que os judeus carregarão eternamente a culpa pela morte de Jesus


1543
Lutero, o pai da Reforma Protestante, lança Sobre os judeus e suas mentiras, em que estimula a destruição das sinagogas


1880
O filósofo alemão Karl Eugen Dühring lança o livro A questão judaica, em que defende a inferioridade dos judeus em relação aos povos germânicos. Cinco décadas depois, suas ideias serviriam de base à política nazista de extermínio dos judeus


1903
Publicados, em São Petersburgo (Rússia), os Protocolos dos sábios de Sião, obra que denuncia suposta conspiração judaica para dominar o mundo


Fonte: Cristianismo Hoje - Inocentes! Em seu novo livro, Bento XVI exime o povo judeu de culpa pela morte de Jesus Cristo.

Nenhum comentário: