segunda-feira, 11 de abril de 2011

O véu islâmico na Europa

A lei que proíbe o uso do véu islâmico em locais públicos entrou em vigor nesta segunda-feira na França e já foram registradas as primeiras detenções por infração à norma.

O debate sobre as distintas modalidades do véu islâmico é motivo de polêmica em muitos países, que consideram que denigre a mulher.

Na Europa, as posturas se dividem entre os que defendem que usar esta vestimenta é um símbolo de identidade e da religião muçulmana e os que acreditam que ela impede a identificação de pessoas e aumenta a discriminação contra as mulheres.

A França, o país da União Europeia (UE) com a maior percentagem de população muçulmana, foi a primeira a restringir esse símbolo religioso nos locais públicos, e em 2004 proibiu o uso do véu e outros símbolos considerados "ostensivos", como crucifixos, nas escolas estaduais.

Em 13 de julho de 2010, a Assembleia Nacional francesa aprovou a lei que entrou em vigor nesta segunda-feira e que proíbe o uso do véu islâmico em qualquer local público.

Em outros países europeus o debate se mantém aberto, mas ainda não foram aprovadas medidas restritivas.

Na Bélgica a proibição de usar roupas que cubram completamente o rosto está pendente da aprovação pelo Senado do acordo adotado pelo Parlamento em abril de 2010, quando proibiu o uso público do véu islâmico.

Na Alemanha oito estados proíbem que as professoras usem o hijab e qualquer outro símbolo religioso ou político, mas as alunas podem cobrir a cabeça com o véu islâmico.

A questão também está em debate na Itália, embora exista uma lei que, desde 1975, proíba cobrir completamente o rosto e a cabeça em locais públicos.

Na Espanha não há legislação sobre o uso do véu islâmico em locais públicos, mas os prefeitos de algumas cidades proibiram seu uso nas dependências municipais.

No Reino Unido nenhuma lei restringe o uso de símbolos religiosos, apenas no caso das menores que usam o véu islâmico; e na Áustria um decreto-lei estabelece que é anticonstitucional qualquer restrição a seu uso.

A Turquia, país onde 99,8% da população é muçulmana, aprovou em 2008 emendas constitucionais que permitiam o uso do véu na universidade, até então proibido em edifícios públicos e centros educacionais públicos e privados. No entanto, meses depois, o Tribunal Constitucional derrogou as emendas.

Fonte: Terra

Um comentário:

Anônimo disse...

Mais proibição da burca islâmica aqui:

http://veradextra.blogspot.com/2011/04/franca-contra-as-burcas.html