terça-feira, 19 de abril de 2011

Abuso de álcool cresce e tabagismo cai

Pesquisa do Ministério da Saúde mostra que consumo excessivo de bebida está aumentado mais entre as mulheres

Angela Pinho - Folha de S. Paulo

Levantamento ouviu 54 mil pessoas; número de homens fumantes está em queda e o de mulheres, estável

O consumo abusivo de álcool está crescendo no Brasil, principalmente entre as mulheres. A constatação é de pesquisa divulgada ontem pelo Ministério da Saúde.

O levantamento foi feito a partir de 54 mil entrevistas por telefone com pessoas de mais de 18 anos nas 27 capitais do país.

O percentual de brasileiros que bebem em excesso passou de 16,1% em 2006 para 18% em 2010.

O problema atinge mais os homens. Em 2010, 26,8% deles abusavam de álcool. Em 2006, eles eram 25,5%.

Foi entre as mulheres, no entanto, que se deu o aumento mais expressivo: a taxa passou de 8,2% para 10,6% nos últimos quatro anos.

Com base em critérios da OMS ( Organização Mundial da Saúde), o ministério considerou como consumo excessivo a ingestão de pelo menos cinco doses emumamesma ocasião por mês para homens ou pelo menos quatro doses para mulheres.

Para Amadeu Roselli Cruz, do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG ( Universidade Federal de Minas Gerais), o aumento do consumo de álcool na população feminina está ligado à inserção das mulheres no mercado de trabalho e nas universidades.

“ A igualdade de gênero se estende a campos positivos e negativos. Comportamentos que eram tidos como tipicamente masculinos passam a ser adotados pela mulher.”

De acordo com Amandio Fernandes, membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, pesquisas mostram que o álcool aumenta o risco de câncer de mama, esôfago, boca, faringe e laringe.

TABAGISMO

A pesquisa do Ministério da Saúde mostra ainda que o tabagismo continua em declínio no país, mas tem encontrado resistência maior entre as mulheres, ainda que o número de fumantes seja superior entre os homens.

Entre 2006 e 2010, a proporção de fumantes caiu de 16,2% para 15,1%. Em 1989, quando o IBGE realizou uma pesquisa semelhante, o percentual era de 34,8%.

Nos últimos anos, no entanto, a queda se deu apenas entre os homens – de 20,2% para 17,9% de 2006 a 2010. Entre as mulheres, o número ficou estável em 12,7%.

Entre elas, aumentou o percentual das que fumam mais de ummaço por dia – de 3,2% para 3,6%. Entre os homens, houve queda.

O tabagismo também preocupa entre a população com menor instrução. Pessoas que têm só o ensino fundamental são as que mais fumam – 18,6%, contra 10,2% das que têm nível superior.

Nenhum comentário: