quinta-feira, 3 de março de 2011

Nova Bíblia norte-americana muda palavras como "holocausto"

Reuters/Brasil Online / O Globo

Por Andrew Stern

A nova edição de uma das mais populares Bíblias em inglês vai substituir termos como "espólio" e "holocausto" a fim de melhor refletir a compreensão moderna, disse um grupo católico na quarta-feira.

Cerca de 50 acadêmicos de todos os credos e uma comissão de bispos católicos trabalharam desde 1994 na atualização da Nova Bíblia Americana, a primeira revisão desde 1970, segundo a Conferência dos Bispos Católicos dos EUA.

A nova edição será lançada a partir da Quarta-Feira de Cinzas por 12 editoras. "É uma bela tradução, uma nova maneira de olhar para um velho amor", disse Mary Sperry, que supervisiona o licenciamento da Bíblia para os bispos.

As mudanças vão além das alterações de algumas palavras, e incluem novas notas para auxiliar o leitor a compreender a interpretação católica dos conceitos bíblicos, disse Sperry. O Livro dos Salmos, por exemplo, ficou com mais de 70 mil palavras, entre textos e notas.

As revisões refletem com mais precisão as traduções do hebraico antigo e as versões grega do Antigo Testamento, além da constante evolução da linguagem moderna, disse Sperry.

Por exemplo, a palavra "holocausto", que para a maioria das pessoas refere-se ao genocídio dos judeus na Segunda Guerra Mundial, foi alterada para "queima de oferendas", que esclarece a ideia original e positiva de fazer oferendas a Deus.

"Booty" - que em inglês coloquial passou a ter conotação sexual, como nádegas - foi alterado para "espólios de guerra"; "cereal" - que muita gente associa a cereais matinais - virou "grãos", para falar de trigo.

Numa passagem de Isaías 7:14 que prevê a vinda de Jesus, a expressão "a virgem" passará a ser "a jovem", tradução mais fiel do hebraico "almah."

Mas Sperry alertou que "os bispos e a Bíblia não estão sinalizando qualquer tipo de mudança na doutrina do nascimento virginal de Jesus, absolutamente nenhuma."

A nova edição retoma versões mais poéticas do Salmo 23, ao dizer: "Ando pelo vale das sombras da morte", em vez de "vale escuro." E "viverei na casa do Senhor pelos próximos anos" virou "por dias intermináveis", o que segundo Sperry carregava um significado mais profundo e esperançoso.

A atual edição da Nova Bíblia Americana vendeu mais de 1 milhão de exemplares no ano passado, principalmente nos Estados Unidos, Filipinas, Índia e África. A nova versão pode gerar uma alta nas vendas, previu Sperry.

A edição estará disponível em vários formatos: como um livro familiar de capa dura, uma brochura básica, como livro eletrônico, como aplicativo para celulares e numa versão em braile.

Nenhum comentário: