quinta-feira, 3 de março de 2011

Netanyahu elogia papa por exonerar judeus da morte de Jesus

Declaração foi dada por Bento XVI em livro que será lançado em 10 de março

EFE / O Estado de S. Paulo

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, elogiou nesta quinta-feira o papa Bento XVI por exonerar os judeus pela condenação de Jesus à morte e lembrou da importância que a acusação teve na história do antissemitismo.

"Lhe louvo por rejeitar com firmeza em seu recente livro Jesus de Nazaré - que será lançado no dia 10 de março - a falsa acusação que constituiu uma base do ódio ao povo judeu durante muitos séculos", assinalou Netanyahu em comunicado.

O chefe de Governo israelense manifestou também sua "esperança" em que a "clareza e a coragem" que mostrou o pontífice ao desautorizar a ideia do deicídio judeu "reforce as relações entre judeus e cristãos ao longo do mundo e ajude a promover a reconciliação para as gerações vindouras".

"Espero ver-lhe de novo em breve e expressar-lhe pessoalmente o profundo apreço que lhe professo", conclui a nota.

Nenhum comentário: