sexta-feira, 4 de março de 2011

Mostra "Herança Bizantina" abre dia 25 e traz ícones do séc. XVII



Relíquias bizantinas centenárias estarão expostas no Memorial da América Latina a partir de 25 de março de 2011. São peças raras que dificilmente saem de seus países e incluem ícones dos séculos XVII, XVIII, XIX e XX. A mostra está sendo organizada por Dom Athanasio I, Arcebispo Primaz do Brasil e América Latina e Presidente do Sínodo Grego Ortodoxo da Diáspora, um dos ramos (sínodos) em que se divide a Igreja Ortodoxa.
A exposição "Herança Bizantina" traz ícones, mosaicos, paramentos sacerdotais e objetos sacros, como evangeliários, cruzes, mitras e turíbolos, ítens do rito bizantino tão pouco conhecidos no Brasil e na América Latina. A organização da mostra tem a colaboração da Ordem Mundial dos Ortodoxos Hospitaleiros, do ateliê de iconografia bizantina Theotokos e da paróquia bizantina de Brasília Nossa Senhora do Bom Caminho.


Um dos aspectos interessantes da exposição serão ícones recentes, confeccionados por monges no Brasil, a partir de pedras semi-preciosas brasileiras. Usando técnicas tradicionais introduzidas por Dom Athanasio I, eles constroem mosaicos semelhantes ao de Bizâncio (atual Istambul, na Turquia). Os bispos vendem esses trabalhos e usam o dinheiro para financiar sua própria obra social, como um orfanato em Bragança Paulista, com 250 crianças.

Ao Memorial interessa conhecer um pouco mais as tradições e a cultura dos cristãos ortodoxos, que são maioria na Grécia e no Leste Europeu. Em um momento histórico que ficou conhecido como Grande Cisma, no distante ano de 1054, os católicos romanos se separaram dos católicos do oriente. Segundo Dom Athanasio I, "o episódio da separação oficializou-se da seguinte maneira: em plena liturgia dominical na Basílica de Santa Sofia, na presença do Imperador bizantino Constantinos Monomarros (chefe do Oriente e Ocidente) e do Patriarca de Constantinopla Michel Kirulários, os delegados do Papa de Roma Leão IX entregaram um libelo homologando que eles se separariam do oriente definitivamente. Ora, quem sai é que abandona a casa". A partir daí os católicos do ocidente passaram a chamar os católicos do oriente de ortodoxos, "de uma forma pejorativa", explica Dom Athanasio, "por considerá-los rígidos e tradicionalistas ."

Esses são fatos históricos pouco conhecidos no ocidente, embora a influência da Igreja Ortodoxa na música, nas artes sacras, na lei, na Filosofia e Teologia cristã seja inegável. Em um mundo em que as informações circulam com a rapidez da eletrônica, a cultura viva latino-americana está permanentemente interagindo com as manifestações culturais (artísticas, religiosas, científicas, filosóficas etc) de outras partes do mundo.


Serviço

Exposição Herança Bizantina
25 de março a 7 de abril de 2011
Galeria direita do Auditório Simón Bolívar
terça a domingo, das 9h às 18h
Entrada franca

 
Fonte: Memorial da América Latina
dica do André Magister

Nenhum comentário: