quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Golpe na teoria do aquecimento global: estudo mostra que geleiras do Himalaia estão crescendo ou estáveis

Matthew Cullinan Hoffman

(Notícias Pró-Família) — Um novo estudo publicado na revista científica Nature Geoscience concluiu que o afirmado derretimento das geleias do Himalaia, proclamado pela ONU como “prova” da catástrofe do aquecimento global, não corresponde à evidência. Ao contrário, os pesquisadores constataram que muitas geleiras nos Himalaias estão se expandindo ou estáveis.

Notando que seu estudo corrige “declarações incorretas no quarto relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática”, os autores dizem que seus resultados mostram “que não há nenhuma resposta uniforme de geleiras dos Himalaias para a mudança climática”.

Rajendra K. Pachauri, diretor do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (PIMC) da ONU, fez a famosa afirmação no quarto relatório de avaliação do PIMC em 2007 de que a probabilidade de que as geleiras do Himalaia “estarão desaparecendo até o ano 2035 e talvez antes é muito alta”, uma afirmação rejeitada na época pelo importante glaciologista da Índia, Dr. Vijay Raina. Pachuari respondeu chamando Raina de adepto da “ciência do vodu”.

Em janeiro de 2010, o PIMC admitiu que a afirmação sobre o derretimento dos Himalaias não estava baseada em nenhum estudo cientifico revisado por outros especialistas, mas em vez disso por uma entrevista feita pelo cientista climático Syed Hasnain para a revista esquerdista New Scientist. A organização fez um pedido público de desculpas pelo erro, mas Pachauri continuou a defender que as geleiras dos Himalaias estavam se derretendo num “grau rápido”, de acordo com o jornal Telegraph da Inglaterra.

Entretanto, o novo estudo de Dirk Scherler, Bodo Bookhagen e Manfred R. Strecker das Universidades de Potsdam e Califórnia em Santa Barbara, indica que há “fortes variações espaciais de conduta de geleiras” nos Himalaias. “Mais de 65% das geleiras influenciadas pelas monções que observamos estão recuando, mas geleiras cobertas por detritos pesados com inativas regiões finais de declives baixos tipicamente têm frentes estáveis”, escrevem os autores, acrescentando que “Em contraste, mais de 50% das geleiras observadas na região de Caracórum influenciada pelos ventos do oeste no norte do Himalaia estão avançando ou estáveis”.

A imagem de geleiras se derretendo nos Himalaias é chamada de um dos dois principais “ícones” do alarmismo do aquecimento global, junto com ursos polares, que foram declarados uma espécie “ameaçada” apesar do fato de que seus números estão crescendo. Os defensores da teoria do aquecimento global catastrófico afirmam que dentro 20-40 anos os ursos polares poderão estar extintos devido às temperaturas globais mais elevadas.

O controle populacional tem sido um dos objetivos fundamentais dos líderes que defendem o conceito de que os seres humanos provocaram o aquecimento global. Durante a conferência de mudança climática de 2009 em Copenhagen a questão do controle populacional apareceu como uma questão chave depois que foi apresentada pela delegação chinesa. Em 2010 Ted Turner, fundador da CNN, exortou os líderes mundiais a lidar com a crise do aquecimento global mediante reduções radicais no número de pessoas no planeta Terra. O Fundo de População da ONU também vem liderando a iniciativa para promover medidas para uma redução drástica da população, afirmando que é uma tática necessária para combater a mudança climática.

Traduzido por Julio Severo

Nenhum comentário: