terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Em entrevista, mulheres-bomba incentivam outras palestinas a atacarem Israel


Com os rostos cobertos e armas carregadas, militantes palestinas foram entrevistadas pela CNN estão treinando entre as dunas de areia de Gaza. As mulheres tem em seu discurso o ódio pelo Estado de Israel e convocam outras palestinas para as missões suicidas contra seus maiores inimigos.



Na reportagem da CNN, os gritos de "Allahu Akbar" - Deus é grande - são seguidos por intensa prática tiro ao alvo. Essas militantes estão se preparando para lutar contra seu inimigo jurado, o Estado de Israel.


A equipe de TV americana teve acesso raro algumas dessas mulheres dentro de Gaza. O grupo militante insistiu que a localização foi mantida em segredo, então os repórteres chegaram a ser vendados na traseira de um carro e conduzido a uma casa.

Cinco mulheres deram a entrevista sentadas no jardim da casa, todos da Brigada Salah ad-Din - um dos vários grupos militantes na Faixa de Gaza - todas usando burca e armadas. Apenas seus olhos estavam descobertos.

Uma das mulheres dispara: "Eu sou formada e pronta para ser uma terrorista suicida contra os soldados israelenses".


Todas elas acreditam que haverá outra guerra com Israel em breve - uma perspectiva considerada possível por ambos os lados do conflito, por conta da violência fronteiriça tem aumentado nas últimas semanas.

A segunda mulher diz que está pronta para colocar a vida dela a serviço da luta contra Israel. Ela diz que as crianças da Palestina molham a cama durante a noite porque têm medo de ataques aéreos.

Quatro anos atrás, uma avó de 64 anos de idade se explodiu perto de soldados israelenses em Gaza, ferindo dois. Ela era a mais velha suicida palestina do sexo feminino. E as mulheres-bomba de 2010 pretendem seguir seus passos.

Fonte: O Dia Online

Nenhum comentário: