terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Coleção Folha traz textos sacros do islamismo

"Alcorão Sagrado" oferece um guia de conduta espiritual para o homem

Volume, que chega às bancas em 16/1, faz parte de série de livros que mudaram a forma de pensar o mundo

"Este é o Livro (o Alcorão) veraz por excelência. A falsidade não se aproxima dele nem pela frente nem por trás porque é a revelação do Prudente, Laudabilíssimo."

Obra sacra do islamismo, e fundamental para a religião, a literatura e a cultura muçulmana, o "Alcorão Sagrado" é o volume 19 da Coleção Folha Livros que Mudaram o Mundo, que chega às bancas no próximo domingo, 16 de janeiro.

A palavra Alcorão significa literalmente "leitura por excelência" ou "recitação".

Dividido em 114 suratas (capítulos ou seções), ele é visto pelos muçulmanos como a palavra de Deus
(Allah), revelada ao profeta Maomé (570-632) ao longo dos últimos 23 anos de sua vida.

O calendário islâmico começa no ano 622 da era cristã, com a fuga de Maomé e seus partidários, de Meca para Medina.

O Alcorão abrange revelações feitas em ambas as cidades: os versículos da época de Meca referem-se às normas da crença em Allah, em seus anjos, em seus livros, em seus mensageiros, enquanto os escritos de Medina dizem respeito aos rituais e à jurisprudência.

O Alcorão não foi redigido por Maomé; ele o ditava a seus companheiros, de tempos em tempos, pedindo-lhes não somente que o aprendessem de cor mas também que o escrevessem e que multiplicassem o número de cópias.

O Alcorão é dirigido a toda a humanidade, sem distinção de raça, cor, região ou tempo, e procura guiar a humanidade em todos os aspectos da vida: espirituais, materiais, individuais e coletivas.

O Alcorão busca principalmente desenvolver a personalidade do indivíduo: cada ser será pessoalmente responsável perante seu Deus.

Para tal propósito, o livro não somente fornece ordens, mas também quer convencer, apelando para a razão do homem com o relato de histórias, parábolas e metáforas.

Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário: