sábado, 15 de janeiro de 2011

Bispos anglicanos convertidos ao catolicismo são ordenados padres

Três bispos anglicanos, convertidos ao catolicismo, devido à guinada "liberal" da hierarquia religiosa, foram ordenados padres neste sábado, na catedral de Westminster, em Londres, num novo episódio, símbolo da relação tumultuada da Igreja anglicana com Roma. "Este dia único marca uma nova etapa na vida e história da Igreja católica", declarou na homilia o arcebispo Vincent Nichols, durante a cerimônia, que contou com a participação de centenas de representantes do clero.

Dois meses após a visita ao Reino Unido do Papa Bento XVI, Andrew Burnham, Keith Newton e John Broadhurst anunciaram em novembro passado que se somariam à Igreja católica romana, para marcar sua oposição às decisões recentes dos anglicanos sobre a ordenação de mulheres ou a bênção a uniões homossexuais. Serão os primeiros a fazer parte do "ordinariat", uma nova estrutura criada pela Santa Sé para acolher os religiosos vindos do anglicanismo e na qual poderão dar sequência a uma liturgia "própria da tradição anglicana".

A iniciativa, mal vista por numerosos anglicanos, voltou mais uma vez a tornar tensas as relações com os católicos, já tempestuosas, desde o cisma com Roma, em 1534, depois que o Papa Clemente VII recusou-se a conceder divório ao rei da Inglaterra Henrique VIII. Os três bispos, por serem casados e pais de família, não podem conservar a mesma hierarquia no seio da Igreja Católica, pelo que, então, foram ordenados padres. O arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, o mais alto prelado da Igreja anglicana, voltou a lamentar a partida dos três, depois de ter expressado o temor de ver outras paróquias anglicanas acéfalas, se outros religiosos seguirem o mesmo caminho, desertando.

Segundo o agora padre católico e ex-bispo anglicano Keith Newton, 50 representantes do clero anglicano poderão fazer o mesmo, nos próximos meses. No final de 2009, a Santa Sé promulgou uma Constituição apostólica - nome dado às leis mais importantes da Igreja - permitindo a conversão ao catolicismo dos anglicanos dissidentes. Durante sua visita ao Reino Unido, em setembro passado, Bento XVI havia multiplicado os gestos de apaziguamento, assegurando que as duas comunidades "caminhavam juntas e não mais concorriam entre si". A celebração pelo papa da beatificação do cardeal John Newman, um anglicano que passou ao catolicismo, fez, no entanto, ranger dentes. A Igreja anglicana conta com 77 milhões de fiéis, dos quais 13 milhões no Reino Unido, onde é religião dominante, com cem bispos. A Igreja católica possui, no total, 1,1 bilhão de fiéis, dos quais cinco milhões na Grã-Bretanha.

Fonte: Terra

Um comentário:

César Aquino Bezerra disse...

Meu coração dói ao ver que cada vez mais muitas igrejas históricas se afastam do protestantismo.

É uma tristeza ver o que acontece no meio de alguns luteranos, anglicanos, presbiterianos, batistas, etc. E, é claro, também no meio de pentecostais e neopentecostais.

Como pode a Igreja se afastar tanto do Seu Mestre?