sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

40% dos americanos são criacionistas

Sem espaço para Darwin: 40% dos americanos rejeitam a teoria evolutiva


Paula Rothman, de INFO Online

Quatro em cada 10 americanos acreditam que Deus criou os homens, da forma como são hoje, em algum momento dos últimos 10 mil anos.

Esse é um dos resultados de uma pesquisa feita pelo Gallup Group que, desde 1982, realiza estudos sobre a opinião dos Estados Unidos em relação ao criacionismo e evolucionismo.

Outros 38% dos entrevistados em 2010 acreditam que Deus guiou o processo pelo qual os humanos se desenvolveram nos últimos milhões de anos a partir de formas de vida menos avançadas. Já 16% acreditam que nós somos fruto de uma evolução de milhões de anos que não teve o envolvimento divino.

Comparativamente, o número dos que acreditam na evolução, sem interferência divina, aumentou nos últimos anos. Desde 1982, quando a primeira pesquisa do Gallup foi feita, ele passou de 9% para 16%.

No mesmo período, esta é a menor porcentagem de americanos que acredita que Deus criou o homem da forma como ele é. Em 1982, foram 44%; houve um pico em 1993 e 1999 de 47% e, hoje, são 40%. Já a teoria de que os homens evoluíram ao longo de milhões de anos com ajuda de Deus não teve muitas alterações: em 1962, os mesmos 38% acreditavam nela.

A pesquisa também aponta que a visão dos americanos sobre a origem humana varia significativamente de acordo com o grau de instrução e religiosidade. Segundo os dados recolhidos pelo Gallup, aqueles com menores graus de escolaridade estão mais sujeitos a acreditar no criacionismo, enquanto um elevado grau (pós graduação) indica preferência por uma das duas visões envolvendo evolução.

Entre os entrevistados com pós graduação, a teoria de que os homens evoluíram sem a participação de Deus é aceita por 25% das pessoas - o maior índice entre as escolaridades. No mesmo grupo, o criacionismo puro e simples era a 22%, o menor índice. O restante, 49%, acredita que houve uma evolução guiada por Deus. Entre aqueles entrevistados com ensino médio ou menos, apenas 9% acreditavam na evolução, enquanto 47% acreditavam no criacionismo e 34% crê em uma evolução guiada por Deus.

Uma descoberta nada surpreendente é a de que americanos que vão à igreja tendem a acreditam mais em uma visão que envolva Deus. Entre aqueles que vão raramente ou nunca, 31% acreditam na evolução sem participação divina e 24% acreditam que Deus criou o homem da maneira como é há 10 mil anos; 39% acreditam na evolução guiada por interferência divina. Já entre aqueles que vão toda semana à Igreja, apenas 2% acreditam na evolução sem intervenção divina, 60% acreditam que Ele criou o homem, da maneira como é, há 10 mil anos, e 31% crêem na evolução guiada.

Conclusões

A pesquisa da Gallup revela que a maioria dos americanos acredita em Deus, sendo que 85% têm alguma identidade religiosa. Não é surpreendente, portanto, que 8 em cada 10 americanos acredite que a origem humana envolva alguma ação Divina – seja criando os humanos como descrito no livro do Gênesis, seja guiando o processo evolutivo. Segundo o Gallup, o que surpreende os cientistas é que 40% das pessoas acredite na primeira opção.

Comparando os números com as pesquisas anteriores, fica claro que essas opiniões estão basicamente estáveis nos últimos 28 anos. A visão criacionista declinou levemente, porém as variações são bastante pequenas.

A pesquisa da Gallup foi feita entre 10 e 12 de dezembro, com uma amostra aleatória de 1019 adultos, acima de 18 anos, vivendo nos Estados Unidos continental. Sua margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Nenhum comentário: