domingo, 7 de novembro de 2010

O riso em Mainardi: um estudo sobre os mecanismos linguístico-discursivos do humor nas crônicas de Diogo Mainardi

O riso em Mainardi: um estudo sobre os mecanismos linguístico-discursivos do humor nas crônicas de Diogo Mainardi.

Dissertação de Mestrado, defendida por Sandra Falcão da Silva na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Este trabalho tem por objetivo identificar e analisar os mecanismos linguísticodiscursivos do discurso humorístico nas crônicas de Diogo Mainardi. Para o desenvolvimento da pesquisa, selecionamos um corpus composto de quinze crônicas publicadas na revista Veja, no período de 2005 a 2008, parte delas reunida no livro Lula é minha anta (2007). Em função de nosso objeto, buscamos colocar em evidência as estratégias discursivas ligadas ao humor, a fim de depreender dos textos do cronista efeitos possíveis de sentido social sobre os potenciais leitores das crônicas. Valendo-nos de uma abordagem discursiva da linguagem, partimos de um referencial teórico embasado em teorias da Análise do Discurso em contexto midiático. Em função de nosso objetivo, pensadores de referência sobre o humor e, mais especificamente, sobre a ironia foram igualmente contemplados. Dessas teorias, retiramos os subsídios teóricos necessários ao exame das características que particularizam o humor e, em especial, à concepção de discurso adotada na pesquisa, com vistas à compreensão das funções discursivas do humor nas crônicas de Mainardi. A análise do material de pesquisa revelou que o efeito de sentido social do ato humorístico depende de um contrato de conivência que o locutor-enunciador propõe ao destinatário-interlocutor do discurso, exigindo um trabalho interativo na construção da significação dos textos, com base em conhecimentos partilhados. Intertexto e interdiscurso conferem, assim, ao ato humorístico uma confluência de saberes que sinalizam determinados imaginários sociodiscursivos comuns aos protagonistas de discurso. A partir disso, os mecanismos linguístico-discursivos ligados ao humor, colocados em evidência nas crônicas de Mainardi, revelaram-se uma eficiente, porque controversa, estratégia de persuasão e de adesão dos leitores, com vistas à formação de uma opinião sobre fatos da atualidade. As especificidades do corpus selecionado trouxeram à luz o potencial de sedução do discurso humorístico na mídia que, ainda que agressivo, tem a capacidade de nos cativar porque joga, por meio da linguagem, com visadas discursivas de pathos, de agrado e de desagrado. Esse tipo de humor, pouco convencional em nossa sociedade, despertou nosso interesse, justificando o estudo realizado.

Clique aqui para o texto completo [pdf / 175 p.]

Um comentário:

Georges disse...

Ah não, gente.. Diogo Mainardi é uma caricatura, mais uma tentativa fracassada de ressuscitar Paulo Francis. A primeira foi Arnaldo Jaburu, agora esse cara. Tudo o que sabe dizer e escrever é que "é culpa do PT". Fraco, sem repertório... mas há quem goste.