sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Europa unida surgiu das cinzas de Auschwitz

Por Tijn Sadée

Todos os arquivos relacionados ao Holocausto serão reunidos em um só banco de dados chamado European Holocaust Research Infrastructure (EHRI). Estudos sobre a perseguição do povo judeu durante a Segunda Guerra Mundial serão pela primeira vez ‘democraticamente abertos a todos’. O Instituto Holandês de Documentação de Guerra (NIOD) é o responsável pelo projeto.

Muitos filhos e netos de vítimas do Holocausto passaram anos tentando descobrir exatamente o que aconteceu a seus parentes. Hoje, documentos detalhando os horrores do Holocausto estão espalhados por diversos arquivos europeus.

Israel
Esta informação agora será reunida no novo banco de dados, que incluirá documentos do Holocausto arquivados em 13 países europeus e em Israel. Entre eles, os arquivos dos antigos países comunistas da Europa, que serão pela primeira vez abertos ao público em geral.

“É dever da União Europeia assegurar que este legado de informações permaneça vivo”, diz Robert-Jan Smits, o mais alto funcionário holandês na UE. “Não podemos esquecer que a Europa de hoje surgiu das cinzas dos crematórios de Auschwitz.”

O EHRI, que receberá subsídios da ordem de sete milhões de euros da União Europeia, acaba de ser lançado em Bruxelas. Conny Kristel, do NIOD, está liderando o projeto. “Temos experiência com projetos internacionais”, diz ela. “A Holanda tem ampla reputação na Europa, por ser um país pequeno capaz de reunir vários parceiros e obter bons resultados no que faz.”

Democrático
Kristel diz que o arquivo irá atender tanto a pesquisadores profissionais como a indivíduos procurando informações sobre suas famílias. “A pesquisa do Holocausto se tornará democrática”, explica Michal Frankl, do Museu Judeu de Praga, um dos parceiros no projeto EHRI.

Ao final da Segunda Guerra, muitos arquivos do Holocausto desapareceram atrás de portas fechadas nos países do leste europeu. “Eles eram guardados pela polícia secreta”, diz Frankl. “Agora que finalmente serão abertos ao público – 20 anos depois da queda do Muro de Berlim – será mais fácil para as pessoas solucionarem seus ‘quebra-cabeças’.”

“Veja, por exemplo, os judeus holandeses deportados para Theresienstadt. Até hoje, você tinha que visitar os arquivos em Amsterdã, Praga ou Jerusalém para descobrir exatamente o que aconteceu a eles. Quando o EHRI estiver funcionando, será possível encontrar o que você procura imediatamente, online.”

Significado
Michal Frankl acredita que é realmente importante que os jovens europeus conheçam a história do Holocausto. “Não só sobre os fatos em si, mas sobre seu significado: que a unificação da Europa é um resultado direto do Holocausto.”

Fonte: Radio Nederland

Nenhum comentário: