quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Imagem de Cristo inicia debate sobre arte e religião nos EUA

Museu e Galeria de Loveland teve obra alvo de ataque, sob o argumento de que a obra profanava Jesus

The New York Times / IG

Pela primeira vez depois de algum tempo, o curioso museu localizado na Avenida Lincoln, em Loveland, Colorado, estava tranquilo. Uma placa dentro do prédio era a única indicação dos problemas recentes. "Esta peça foi destruída por um ato de violência e já não está em exposição", dizia.

Há semanas, essa bucólica cidade no norte do Colorado de cerca de 60 mil moradores, que tem uma vibrante comunidade artística, ficou amargamente dividida sobre uma controversa obra de arte que ficava neste espaço agora vazio do Museu e Galeria de Loveland. Alguns aqui interpretaram a pequena imagem, que fazia parte de uma exposição de impressão litográfica do artista Enrique Chagoya, de São Francisco, como mostrando Jesus Cristo envolvido em um ato sexual com outro homem e exigiram sua retirada.

Na quarta-feira da semana passada, uma caminhoneira de Montana de 56 anos chamada Kathleen Folden entrou na galeria. Kathleen caminhou até a obra, pegou um pé de cabra e começou a quebrar a caixa de acrílico que a envolvia. Em seguida, no momento em que a polícia chegou ao local, ela rasgou a litografia. "As pessoas estavam perguntando a ela: 'Por que você fez isso?'", lembrou Mark Michaels, um negociante de arte do Colorado que viu o incidente e tentou segurar Folden."Ela disse: 'Porque ela profana o meu Senhor'".
Foto: The New York Times

Museu de Loveland, onde litografia sobre a cabeça de Jesus Cristo provocou prolêmica

Embora a destruição tenha sido firmemente condenada tanto por adversários quanto por simpatizantes da exposição, o incidente revelou as divisões existentes entre uma comunidade artística em crescimento e uma cidade conservadora.

A litografia em si, parte de uma série de Chagoya intitulada "As Desventuras de Canibais Românticos", mostra a cabeça de Jesus Cristo, com os olhos revirados para trás, no corpo de uma mulher na maior parte vestido. A cabeça de um homem com a língua de fora está perto das pernas da mulher. A palavra "orgasmo" está escrita no fundo.

Ato sexual

Chagoya disse que pretendia que a imagem fosse vista como um comentário sobre a corrupção na Igreja Católica Romana e não um ato sexual que envolve Cristo.

Inicialmente, a imagem, que fazia parte de uma exposição muito maior, envolvendo nove outros artistas, provocou pouca reação. Mas, então, Daryle W.Klassen, vereador de Loveland, começou a receber reclamações sobre a obra, muitas delas pedindo a sua remoção, especialmente por ser exposta em um museu mantido pelos contribuintes.

"Eu queria que a obra fosse retirada porque sabia que tinha um grande potencial para ser altamente ofensiva para um grande segmento da comunidade", disse Klassen.

Folden, que enfrenta uma acusação de conduta criminosa, um crime de quarto grau no Colorado, foi libertada da prisão na quinta-feira depois que alguém pagou anonimamente sua fiança de US$ 350. Ela disse à polícia que havia dirigido desde Montana com o único propósito de destruir a obra.

*Por Dan Frosch


Fico imaginando se o objeto artístico representa-se Maomé...

Nenhum comentário: