sábado, 16 de outubro de 2010

Chega ao cinema americano "I Want Your Money", mensagem do Tea Party



Qualificado de propaganda do movimento Tea Party, o documentário "I Want Your Money" estreia hoje nos cinemas dos Estados Unidos com duras críticas às políticas do presidente Barack Obama, constituindo-se como uma resposta conservadora aos populares documentários de "esquerda".

Terminada a era George Bush, que serviu de contexto para produções liberais como "Fahrenheit 11 de setembro" e "Capitalism: A Love Story", de Michael Moore, e "Uma Verdade Inconveniente", de Al Gore, os setores mais tradicionais decidiram levar às telonas seus temores sobre o rumo do país sob o comando de Obama.

"I Want Your Money", estreado neste fim de semana em 500 salas de cinema dos EUA, questiona a gestão democrata na Casa Branca à qual considera uma guinada "socialista" do Estado, e contra a qual propõe uma redução da Administração Pública para deixar mais espaço ao mercado e à iniciativa privada.

É um filme de Ray Griggs, um quase desconhecido cineasta de 36 anos, realizado de forma independente depois de Hollywood dar as costas a seu projeto, com o qual confia em ganhar dinheiro com a audiência conservadora.

Até o momento, quase sem promoção, o trailer do documentário funcionou na internet, onde já supera os 3 milhões de acessos no YouTube.

Um dos poucos apoios que Griggs encontrou foi o da empresa de consultoria Motive Entertainment, a mesma que organizou a promoção de "A Paixão de Cristo" de Mel Gibson, que se encarregou de ganhar visibilidade entre os grupos tradicionais.

De fato, durante as semanas prévias à estreia, o filme ficou de fora do circuito habitual de críticos em Hollywood e foi exibido principalmente em apresentações privadas a públicos com afinidade política a seu conteúdo.

O documentário inclui entrevistas com personalidades de perfil conservador como os republicanos Mike Huckabee, Michael Reagan e Steve Forbes.

Há vários momentos cômicos, como os que mostram Bill e Hillary Clinton, Sarah Palin, George Bush - pai e filho. Também se coloca um debate entre as posturas de Ronald Reagan frente às de Barack Obama.

Apesar da clara posição política expressa em "I Want Your Money", Griggs garante que a produção de US$ 500 mil foi autofinanciada por meio de investidores particulares e não contou com o apoio oficial de nenhuma estrutura partidária.

A explicação não impediu que internautas qualificassem o vídeo de "propaganda" do movimento conservador Tea Party, embora não existam referências no site do filme de que existam vínculos com a corrente política.

"Trata-se de uma evangelização política", avaliou Susan Swift do blog de cinema "BigHollywood", após assistir à produção, cujo aspecto artístico considerou positivo.

"Faz o que é quase impossível: conseguir que a política seja entretida", comentou Swift.

A campanha de lançamento de "I Want Your Money" também tem um oportunismo eleitoral. Será exibida basicamente nos estados republicanos e a poucas semanas das eleições de 2 de novembro, nas quais estão em jogo as vagas parlamentares nas duas casas do Capitólio, bem como os Governos de 37 dos 50 estados americanos.

Fonte: EFE / Terra

+ EUA - Tea Party passa de folclore político a força real

Nenhum comentário: