quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Prefeito de São Paulo visita obras do Templo de Salomão

Bispo Macedo explicou a Gilberto Kassab detalhes sobre a construção

Por Cinthia Meibach , Arca Universal

O prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, visitou, nesta quarta-feira (01), o terreno onde será construída a réplica do Templo de Salomão, localizado no bairro do Brás, zona leste da capital paulista. Ele foi recebido pelo bispo Edir Macedo, que explicou detalhes sobre a mega construção .

Acompanhado pelo secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, Elton Santa Fé Zacarias, o prefeito visualizou a maquete do templo e assistiu a um vídeo que mostra um passeio virtual dentro da futura construção, que terá lugar para 11 mil pessoas sentadas.

Durante as explicações, Kassab quis saber onde ficariam os estacionamentos dos ônibus e quantas saídas de emergência seriam feitas. De acordo com o arquiteto responsável pela obra, Rogério Silva, além do estacionamento do templo, que terá capacidade para mais de mil veículos, outros três serão locados para atender a demanda. Além disso, o local será todo cercado por diversas saídas. "Nós contamos com 100 profissionais diretos trabalhando neste projeto e mais 2 mil terceirizados envolvidos indiretamente, pois como buscamos a certificação verde, estamos investindo na implementação do uso racional e reaproveitamento da água, eficiência energética, materiais com maior porcentagem de componentes recicláveis e na qualidade do ar", explicou o arquiteto ao prefeito.

Após conferir o projeto, Kassab afirmou que o novo templo terá um grande impacto positivo, não somente para a zona leste, mas para toda a cidade. "Acredito que a obra estará vinculada ao turismo da cidade, pois será um ponto de visitação por suas características. Muitos que moram aqui vão querer conhecê-la, pois será uma igreja grandiosa, repleta de modernidade e, mais do que isso, que procura ser construída de maneira análoga ao que foi construído séculos atrás. Será um templo onde as pessoas poderão orar com serenidade, paz e conforto", declarou.

Perguntado a respeito da repercussão que a notícia da construção do templo ocasionou em todo o mundo, o bispo Macedo disse não se preocupar com o que dizem as críticas: "A polêmica sempre houve e haverá, pois no momento em que a luz se manifesta, as trevas têm de se revoltar. Sempre que a justiça se manifesta, desagrada àqueles que vivem na injustiça. Quem vive na fé, vive na guerra. A fé existe para levar a pessoas à justiça e a uma qualidade de vida que Deus planejou para elas. Aqueles que vivem da miséria alheia e criticam, o problema é deles."

De acordo com o bispo, o objetivo do templo será restaurar a fé do antigo testamento e uni-la à fé do novo testamento. "A fé abraâmica com a fé cristã vão se fundir neste templo. Será algo glorioso. Este templo será usado como na época de Jesus, em que as pessoas vinham até Ele determinadas do que queriam e recebiam. Assim será também; elas chegarão aqui, vão falar com Ele e receber o que pedirem", afirmou.

Para alguns comerciantes da região, a construção terá uma representatividade mais do que espiritual. Edson Ferreira, de 48 anos, é dono de uma lanchonete que fica em frente às futuras instalações da Igreja. Ele conta que, há 10 anos, escolheu o ponto, pois havia ouvido rumores sobre as obras. "Eu ouvi falar que iriam construir uma mega-igreja, então, decidi abrir algo bem em frente. Desde já, tenho visto o aumento do número de clientes", diz.

Há 1 ano, o empresário Moisés dos Santos abriu uma loja de roupas também em frente ao local e diz que a escolha do lugar se deu após saber da construção."Normalmente, quando se abre uma Igreja Universal, costuma haver um desenvolvimento na região e grande fluxo de pessoas, ainda mais sendo uma Igreja que comportará uma multidão. Eu quis garantir meu ponto, pois sei que depois que inaugurar, o local será bem mais valorizado e caro", declara.

Nenhum comentário: