quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Marx morreu quase sem dinheiro, e Darwin deixou herança farta à família

O anticapitalista por excelência Karl Marx morreu quase sem dinheiro, enquanto os homônimos Charles Darwin e Charles Dickens deixaram um farto legado aos seus herdeiros.

São três exemplos de um total de 6 milhões de heranças que se tornaram públicas e fazem parte do Calendário Nacional de Sucessão da Inglaterra e do País de Gales, um banco de dados agora disponível na internet através do site pago Ancestry.co.uk, como noticia nesta quarta-feira o jornal espanhol "El País".

A página é especializada em pesquisa da história de quem viveu no Reino Unido e reúne testamentos feitos entre os anos 1861 a 1941. Até 1857, era a Igreja que administrava esses arquivos, que depois ficaram sob a responsabilidade do Estado.

O alemão Karl Marx deixou 250 libras (o equivalente a 27.700 hoje) para sua filha Eleanor, após sua morte, em Londres, em 1883. Já o inglês Charles Darwin, o autor da Teoria da Evolução que revolucionou a ciência no século XIX, morreu com um capital de 146.911 libras no ano de 1882, hoje equivalentes a uma fortuna de 15,5 milhões.

Autor de famosas obras como "Oliver Twist" e "Grandes Esperanças", Charles Dickens também seria considerado hoje um milionário: quando morreu, em 1898, tinha o equivalente a 8 milhões para deixar para os 10 filhos que teve. Outros escritores, como Arthur Conan Doyle, que criou o personagem Sherlock Holmes, ou Lewis Carroll, autor de "Alice no País das Maravilhas", também deixaram fartos legados, com heranças equivalentes a 3, 6 milhões e 541.972, respectivamente.

Os registros no banco de dados também fornecem detalhes sobre a causa da morte; como no caso do capitão do Titanic, Edward John Smith, o empresário americano Benjamin Guggenheim, ou o armador John Astor, ambos também a bordo do barco que afundou em 1912. Nos três casos, há registros de que eles "desapareceram no mar".

Fonte: O Globo

Nenhum comentário: