quarta-feira, 12 de maio de 2010

Obra de Chesterton fala sobre quem é o homem e a importância de Jesus na História

Em 2008 a Mundo Cristão lançou Ortodoxia, obra de referência na bibliografia de Gilbert Keith Chesterton escrito no início dos anos 1900, na qual o autor conta de forma inteligente e humorada sua própria jornada espiritual, revelando seus pensamentos e compreensão sobre a religião e o cristianismo.

Agora, a MC publica outra clássica obra de Chesterton, O homem eterno. Com cerca de 85 anos de existência, o livro fala sobre a importância do ser humano e seu lugar no mundo criado por Deus e sua relação com a religião. Não menos importante é a segunda parte do livro, dedicada a falar sobre o homem-Deus Jesus Cristo e sua relevância e influência para a história da humanidade.

O objetivo do autor com a publicação desta obra era contrapor a visão ateísta e também as idéias darwinistas que se espalhavam fortemente pela Europa naqueles tempos. Seu raciocínio claro e provocativo envolve o leitor de forma brilhante e faz de mais esta obra um tema relevante a ser discutido e pensado na atualidade.

Chesterton aponta para os críticos da religião e, em especial, para os críticos do cristianismo. Para ele a visão míope do ateísmo aliada a uma forte dose de conceitos preestabelecidos impedem que se compreenda a fascinante ação de Deus na história, especialmente através de Jesus Cristo.

O autor é o principal responsável pela conversão do então ateu C. S. Lewis, autor de As crônicas de Nárnia, ao cristianismo, G. K. Chesterton também é indicado por exercer decisiva influência na vida de líderes de movimentos de libertação como Michael Collins (Irlanda), Mahatma Gandhi (Índia) e Martin Luther King (Estados Unidos).

O homem eterno tem lançamento previsto para o mês de junho. Clique aqui e assista ao comentário de Renato Fleishner, editor da Mundo Cristão, sobre a obra.

Assessoria de Comunicação Mundo Cristão

Um comentário:

Alfred disse...

Chesterton é tremendo. Tinha o Poder das Palavras.