sexta-feira, 28 de maio de 2010

Maradona: Assassino para motivar a Argentina


Técnico recebeu livro sobre guerrilheiro e adicionou à biblioteca dos hermanos na África do Sul

O técnico da seleção argentina de futebol, Diego Maradona, recebeu a visita de Carlos "Calica" Ferrer, ex-companheiro do revolucionário Ernesto "Che" Guevara (1928-1967) na segunda viagem que este fez pela América Latina, de acordo com a Agência Ansa.

"Diego, aqui está minha história com Ernesto, para que a desfrute", disse Ferrer ao entregar a Maradona três exemplares de seu livro "Do Ernesto ao Che", um dos quais foi incluído na biblioteca que a equipe argentina levará à África do Sul, onde participará da Copa do Mundo.

Segundo informou o jornal Tiempo Argentino, Ferrer, de 81 anos, escreveu na dedicatória "Ao Grande Diego, com muito afeto, um abraço guevariano".

Os exemplares foram presenteados ao ex-jogador no sábado passado, no Complexo Habitacional de Ezeiza, a 30 quilômetros de Buenos Aires, onde a seleção se concentra antes de partir para o continente africano nesta sexta-feira.

- Ver Maradona foi muito emocionante. É afável e simpático. E é sensível às questões sociais pelas quais foi assassinado Che - afirmou Ferrer, acrescentando ainda que o treinador aceitou as saudações transmitidas "da Embaixada cubana".

- Diego demonstrou que não é um ingrato com a revolução - assegurou ainda o ex-companheiro de Guevara, que nasceu na Argentina.

- Não posso acreditar que tenha 81 anos, está melhor do que eu - disse, por sua vez, o ex-atleta a amigos após a reunião.

Ernesto Che Guevara realizou uma primeira viagem pela América Latina com Alberto Granado em 1951 e partiu outra vez, acompanhado de Ferrer, dois anos depois. Este permaneceu na Venezuela, enquanto o revolucionário partiu para lutar em Cuba em 1959.

Maradona havia se reunido com Fidel Castro, que combateu ao lado de Guevara, em 1986, depois de voltar da Copa do Mundo vencida pela Argentina. O líder da Revolução Cubana lhe presenteou alguns livros sobre seu conterrâneo, cuja foto Maradona traz tatuada no braço.

De ambas reuniões, com Fidel e Ferrer, participou o preparador físico da seleção, Fernando Signorini, definido pelo Tiempo Argentino como "guevarista até a medula", e responsável pela biblioteca que a equipe levará à África.

Além de "Do Ernesto ao Che", fazem parte da lista de livros quase todas as obras do uruguaio Eduardo Galeano, uma biografia do compositorAtahualpa Yupanqui e de caudilhos argentinos do século XIX, bem como "As perguntas da vida", do espanhol Fernando Savater, e "A sociedade da neve", do também uruguaio Pablo Vierci.

Fonte: Lancenet

Imagem: Internet

Nenhum comentário: