sexta-feira, 9 de abril de 2010

Irã: pastor posto em liberdade após dois meses de prisão

Um pastor protestante de uma Igreja cristã, preso quase dois meses atrás porque “converte muçulmanos”, foi posto em liberdade sob caução e aguarda agora ser processado. Segundo testemunhas locais ele sofreu torturas na prisão.

Wilson Issavi, 65 anos, foi liberado da prisão de Dastgard na localidade de Isfahan na semana passada. Tinha sido detido pela polícia no dia 2 de fevereiro último, após um encontro religioso realizado na casa de um amigo. A polícia o havia ameaçado e obrigado a fechar a sua sede, a Igreja de Kermanshah, mas o pastor continuou com o seu trabalho.

Segundo uma cristã, citada pela agência Compass, o pastor teria sido torturado na prisão e por causa das péssimas condições higiênicas teria contraído uma infecção mortal. O pastor, que se está curando da infecção, aguarda o processo, mas ainda não lhe foi comunicada a data.

A comunidade protestante de Isfahan sofre há muito tempo perseguições. Em julho de 2008 dois cristãos foram mortos por causa da agressão da policia, que intervirá para acabar com um encontro religioso doméstico. Em 28 de fevereiro um casal que se converteu do Islã ao Cristianismo, foram detidos e desde então não se têm mais notícias sobre eles.

O Irã é uma República Islâmica, com o Islã xiita como religião de Estado. Permite a liberdade de culto de diversas confissões religiosas, mas proíbe o proselitismo e controla as atividades religiosas.

Fonte: Rádio Vaticano

Nenhum comentário: