sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bispos espanhóis defendem opção de uso de véu islâmico

A Conferência Episcopal espanhola defendeu hoje que o uso do véu islâmico deve ser uma opção individual, afirmando que todas as pessoas têm o direito de manifestar as suas crenças dentro dos limites da ordem pública.

Os indivíduos "têm o direito de manifestar a sua religião e sua crença", desde que não perturbem a ordem pública, afirmou o porta-voz da Conferência Episcopal espanhola, Juan Antonio Martinez Camino, em conferência de imprensa.

A tomada de posição dos bispos espanhóis ocorre dias depois de uma escola nos arredores de Madrid ter proibido uma aluna de usar o véu islâmico.

O caso está a suscitar polémica e debate em Espanha e várias alunas já se solidarizaram com a colega e apresentaram-se na escola com véus.

O porta-voz da Conferência Episcopal invocou o artigo 16.1 da Constituição espanhola que estabelece que as "pessoas e instituições têm o direito de manifestar a sua crença, dentro dos limites de respeito da ordem pública".

Este princípio também é aplicável aos crucifixos nas salas de aula, assunto que também gerou debate em Espanha, de acordo com o bispo Martinez Camino.

O caso começou em Fevereiro passado, quando a aluna, de origem marroquina, decidiu começar a usar o véu, explicando que o fez por decisão própria. A escola proibiu-a e afastou-a das aulas durante duas semanas.

Agora, a aluna tem três opções: ou tira o véu para ir às aulas, ou continua nas salas de visita da instituição escolar - onde tem estado -, ou muda de colégio, sendo uma opção uma escola próxima que não proíbe o véu.

Não é a primeira vez que há casos como este, sendo um dos mais conhecidos o da jovem que em 2007 foi proibida de usar o niqab (véu integral que deixa apenas uma fenda aberta para os olhos) numa escola em Girona. Uma decisão do Governo acabou por obrigar a escola a recuar.


Fonte: Diário de Notícias

Nenhum comentário: