terça-feira, 30 de março de 2010

Todos os cristãos celebrarão a Páscoa na mesma data

Católicos, protestantes e ortodoxos celebrarão este ano nas mesmas datas a Páscoa, a data máxima do cristianismo, que começa após o período de reflexão da quaresma.

Geralmente há duas datas de Páscoa entre os cristãos: uma para católicos e protestantes, outra para os ortodoxos, já que os primeiros utilizam o calendário gregoriano (do Papa Gregório XIII - 1502-1586); e os outros, o calendário juliano (de Júlio César), mais próximo ao calendário lunar.

Nos dois casos, a Páscoa é celebrada no domingo seguinte à primeira lua cheia após o início da primavera (hemisfério norte, outono no Brasil).

Este ano, os dois calendários coincidem, como aconteceu em 2007.

A Páscoa é a principal festa da liturgia cristã, ponto culminante de uma semana que começa com a celebração da entrada de Cristo em Jerusalém (domingo de Ramos), sua prisão, julgamento, morte na cruz (Sexta-feira da Paixão) e resurreição (Domingo de Páscoa).

A Páscoa é uma "festa de obrigação", ou seja, o cristão têm o dever de assitir à missa. Durante a noite de sábado - na vigília pascoal - são celebrados os batizados dos adultos.

As celebrações (missas e vigílias de oração) são quase as mesmas para as três religiões, com exceção da Via Crucis de sexta-feira que não existe para os protestantes.

A Páscoa marca também o fim da quaresma, que não é mais tão rígida: os católicos só jejuam na quarta-feira de cinzas (dia em que começa a quaresma) e durante a sexta-feira da Paixão. Antes era obrigação se abster de comer carne durante 40 dias.

A festa cristã da Páscoa tem origens na Páscoa judaica (Pessah - passagem), que celebra o momento em que os judeus saíram do Egito e quando Moisés recebeu a Torah no Monte Sinai.

É sobretudo uma festa privada, marcada principalmente por uma refeição durante a qual se come o pão ázimo (sem levadura) e "ervas amargas". O pão ázimo significa que os judeus partiram com tanta pressa que não tiveram tempo para esperar que o pão fermentasse e as "ervas amargas" se referem ao rigor da escravidão no país dos faraós.

Jesus foi a Jerusalém para festejar a Pessah. A Páscoa judaica dura uma semana e este ano se celebra a partir de segunda-feira.

Fonte: G1

Nenhum comentário: