segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Google nega censura a conteúdos contra o islamismo

Há poucos dias publicamos o teste realizado por um blogueiro nas buscas do Google. Era um procedimento simples: gigitar a combinação “nome da religião + é” em inglês, e ver as sugestões que apareciam. Com cristianismo, budismo, judaísmo e outras, termos pejorativos sempre apareciam, ao lado de outros não ofesivos.

Quando o islamismo era buscado, no entanto, as sugestões eram ZERO.

Será que o Google está censurando conteúdos contra o islamismo? O jornal britânico The Telegraph a empresa disse não.

Para entendermos, as sugestões costumam economizar o tempo dos internautas, oferecendo atalhos diretos para resultados de buscas já realizadas anteriormente. O sistema bloqueia certas palavras – especialmente com conotação pornográfica, palavrões e ódio ou violência. Além disso, o Google pode censurar termos específicos de sua preferência. Não foi o caso das buscas pelo islã:

– Este é um bug e nós estamos trabalhando para consertá-lo o quanto antes.

Em defesa do buscador, uma pequena troca nos termos de pesquisa. Em vez de o “islamismo é”, em inglês, digita-se “o islamismo deve”. Respostas como “ser destruído”, “ser parado”, “morrer”, “terminar” e “ir” sugerem que o Google se mantém imparcial nas pesquisas, sem favorecer uma religião ou outra.

Fonte: Infosfera

Nenhum comentário: