quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

57% da população deixaria a capital paulista se pudesse

Um estudo do instituto Ibope encomendado pelo Movimento Nossa São Paulo revela que 57% da população que vive na capital paulista sairia da cidade se pudesse. Em 2008, o porcentual chegava a 46%. O levantamento, divulgado nesta terça-feira, revela que houve queda nos principais índices de bem-estar dos paulistanos.

Segundo a pesquisa, aumentou de 6% para 28% a quantidade de pessoas que afirmam temer alagamentos. Também apresentaram altas o receio em relação ao trânsito (de 16% para 18%), a atropelamentos (de 7% para 13%), a assaltos ou roubos (57% para 65%) e às torcidas organizadas de futebol (de 6% para 11%).

A pesquisa por amostragem foi feita em dezembro do ano passado e entrevistou 1.512 pessoas. Foram cobertas todas as regiões de São Paulo e mesclados perfis variados em relação a sexo, grau de instrução, cor, estado civil e renda. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento teve como base os itens referentes à qualidade de vida sugeridos por mais de 40.000 pessoas. Os entrevistados puderam dar notas de 1 a 10 para a cidade baseados nesses itens – a nota 1 significa estar totalmente insatisfeito; a nota 10, totalmente satisfeito. A nota média de São Paulo foi de 4,8 pontos.

Setores - A nota mais alta ficou com o quesito relações humanas, com 6,5 pontos. Em seguida, aparece o item religião e espiritualidade, com 6,3. O quesito trabalho também obteve nota acima da média, com 6,2, embora o número de entrevistados que consideram algum aspecto do trabalho bom ou ótimo não tenha passado de 25%.Saúde e educação ficaram com uma média de 5,1 e 5,0, respectivamente. Mais de 60% dos entrevistados acreditam que não há democracia na educação e 71% acham que o serviço para agendar consultas, exames e resultados nos sistemas de saúde é ruim ou péssimo. Os menores índices, por sua vez, ficaram com segurança (4,3), transporte (4,0), desigualdade social (3,9). A nota mais baixa ficou com transparência e participação política (nota 3,3).

Prefeitura - A aprovação da gestão do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), foi fortemente abalada no último ano, segundo dados da pesquisa. Em relação à última edição, passou de 12% para 26% o total de pessoas que avaliaram a gestão como ruim ou péssima. Dentre os que consideram ótima ou boa, caiu de 46% para 28%.

Fonte: Veja

Nenhum comentário: